Ser vegetariano um mês – ou toda a vida

Ser vegetariano cada vez mais as pessoas que nos países ocidentais adotam uma dieta vegetariana. As razões são de ordem variada.

São cada vez mais as pessoas que nos países ocidentais adotam uma dieta vegetariana. As razões são de ordem variada.

Estudos internacionais, como os que acompanharam populações de Adventistas do Sétimo Dia da Califórnia durante décadas (esta denominação religiosa recomenda aos seus fiéis a adoção de uma dieta vegetariana) ou o estudo EPIC-Oxford, concluíram que uma alimentação de base vegetal encontra-se associada a níveis mais baixos de incidência de certas doenças, como a cardíaca, a hipertensão, a diabetes do tipo II e vários tipos de cancro. Para aqueles que temem deficiências nutricionais se seguirem uma dieta vegetariana, é importante realçar a posição da Academia de Nutrição e Dietética dos Estados Unidos e da Direção Geral de Saúde Portuguesa, segundo a qual uma alimentação vegetariana, planeada apropriadamente, é saudável, nutricionalmente adequada, podendo ser seguida em vários ciclos da vida, como a infância, a gravidez ou a terceira idade.

De acordo com o relatório “A Longa Sombra da Pecuária” da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, a criação de gado é responsável pela emissão de aproximadamente 18% dos gases de efeito de estufa, uma percentagem muito maior que a gerada por todos os meios de transporte juntos. O consumo de carne nas quantidades atuais contribui também para a deflorestação, sendo o caso mais flagrante o da Amazónia. De igual forma, a pesca comercial com recurso a redes de arrasto (proibida em Portugal, mas não noutras partes do mundo) remexe o fundo marinho, destruindo habitats e capturando muitas espécies que não se destinam ao consumo humano, como as tartarugas ou os golfinhos.

No conjunto de razões a favor do vegetarianismo encontra-se ainda a questão ética. Talvez seja aquela que é mais alvo de chacota ou de incompreensão. Se ainda acredita que os animais que consome viveram felizes em pastos verdes ou que se alimentaram de grãos de milho banhados numa maravilhosa luz solar, convido-o a procurar na internet mais informação sobre o tratamento dos animais na moderna indústria alimentar. Certamente irá deparar-se com vídeos chocantes, gravados com recurso a câmaras ocultas. Duvido que consiga vê-los até ao fim.

Mas nem tudo é negativo. Conscientes de que muitas pessoas desejam adotar uma dieta vegetariana, mas não sabem como, um conjunto de associações, bloggers e nutricionistas portugueses e brasileiros lançaram o “Desafio Vegetariano”. Este possibilita que qualquer pessoa tenha a seu dispor um conjunto de dicas, informações e receitas para durante um mês seguir uma alimentação vegetariana. Para tal, basta apenas realizar a inscrição (gratuita) na página desafiovegetariano.com. O desafio começou no primeiro dia de janeiro, mas ainda pode participar. Se domina o inglês, pode ainda tentar o “Veganuary”, uma iniciativa similar vinda do Reino Unido. Perante o exposto anteriormente, porque não experimentar um tipo de alimentação que pode contribuir para a sua saúde, que tem um menor impacto ambiental e que reduz o sofrimento animal? Está nas suas mãos.

Fonte: https://www.dnoticias.pt

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Clique Aqui!
Inscreva-se aqui!
Inscreva-se para as Atividades Gratuitas!