Especialistas explicam necessidade de exercícios na terceira idade

Envelhecer é inevitável. O corpo, com o passar do tempo, tende a perder músculos, massa óssea e mobilidade, aumentando o risco de quedas e fraturas.

Envelhecer é inevitável, mas enferrujar é uma escolha. O corpo, com o passar do tempo, tende a perder músculos, massa óssea e mobilidade, aumentando o risco de quedas e fraturas.

A prática de exercícios físicos, no entanto, pode ajudar a brecar esse processo e proporcionar maior qualidade de vida aos idosos.

Segundo a educadora física e pós-graduada em fisiologia do exercício na Saúde, na Doença e no Envelhecimento, biomecânica e pilates, Patrícia Bueno, o idoso que se exercita diminui consideravelmente os efeitos do envelhecimento.

— A atividade física aumenta massa magra, massa óssea, melhora mobilidade, o retorno venoso auxiliando na circulação sanguínea, a pressão arterial, o índice glicêmico, e aumenta disposição para o dia a dia.

O personal trainer Carlos Eduardo da Silva, pós-graduado em Lesões e Doenças Músculo Esqueléticas e autor de um TCC sobre os benefícios do treinamento resistido de força para a terceira idade, mesmo as pessoas que passaram a vida sedentárias podem começar a treinar na maturidade.

—  Se a pessoa treina, é ativa, podemos pensar em um treino mais forte. Para quem nunca treinou começamos do zero. É sempre preciso tomar alguns cuidados, fazer exercício de forma correta. E focar nas atividades do dia a dia, agachar, levantar, exercícios que vão utilizar na vida deles.

Exercícios de força ajudam em atividades cotidianas

Patrícia Bueno ressalta que o sedentarismo no idoso é um grande fator de risco para as doenças crônicas degenerativas, por isso, os exercícios devem ser realizados de forma sistemática e com ênfase nesses exercícios funcionais, que melhoram as capacidades da vida diária, como se vestir, tomar banho e comer, além de capacidades da vida diária instrumentais, como fazer comida, fazer compras, arrumar a casa e trabalhar.

Carlos Eduardo lembra que não há limite de idade para quem quer treinar. Se não tiver impedimentos físicos ou de saúde, o ideal é não parar, senão o corpo ‘enferruja’. 

Modalidades

Os exercícios não colaboram apenas para a tonicidade muscular, mas a capacidade funcional em um todo, como flexibilidade, correção postural e equilíbrio.

Os idosos, aconselha Patrícia Bueno, devem ser estimulados a reconhecer seu corpo na maturidade, transportando os benefícios e transformações para além da sala de aula.

Modalidade de baixo impacto que permite a proteção das articulações, além da correção da postura e respiração, o Pilates é um dos métodos eficazes para a terceira idade. Segundo Patrícia Bueno, a prática se mostra eficiente até no tratamento de doenças características ou facilitadas pelo envelhecimento, como, por exemplo, a incontinência urinária.

— O Pilates poderá promover uma melhora do assoalho pélvico que sustenta os órgãos. A respiração dos exercícios do Pilates também propicia fortalecimento do tronco e dos músculos estabilizadores da coluna. 

A musculação, com ênfase para os exercícios funcionais, também trabalha a propriocepção, equilíbrio, coordenação motora, atenção, estabilidade, deslocamento e mobilidade articular. De acordo com o personal Carlos Eduardo, os idosos muitas vezes têm medo de fazer trabalho com pesos, e isso vai mudando conforme o aluno adquire confiança no técnico.

— O importante é ir adaptando o treino à capacidade do aluno, incluir o cardio aos poucos, entrar no treino de força. Conforme vão vendo os resultados, se sentem mais seguros para não se lesionar e percebem a melhora. A musculação na terceira idade também é uma atividade de socialização. 

Meditação do yoga melhorar a concentração e a memória

Outra alternativa segura para os idosos é a prática do yoga. Segundo a professora Thais Faleiros, os exercícios vão além do físico, pois propõem um auto cuidado com o corpo, a mente e o espírito.

— No físico, através dos asanas (posturas), é possível desbloquear e melhorar as circulações sanguí­nea, linfática, energética e nervosa, restaurar a mobilidade das articulações. Na mente, as técnicas de meditação auxiliam na concentração, melhorando a memória e estabelecendo a atenção no momento presente, afastando o idoso da lembrança excessiva do passado e do tempo futuro que lhe resta de vida. E, no espiritual, conectando o idoso com o seu poder interior que está nele e é divino.

Uma das coisas mais interessantes com o decorrer da prática de yoga, explica Thais, é que se desenvolve uma positividade em relação à vida e aos outros, algo fundamental para quem está na terceira idade. 

Fonte: https://meuestilo.r7.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Clique Aqui!
Inscreva-se aqui!
Inscreva-se para as Atividades Gratuitas!