O apetite, o paladar e o olfato diminuem na terceira idade

Readaptar a dieta dos idosos em função do olfato, do paladar e do apetite é necessário mudanças no cardápio para prevenir e curar problemas de saúde.

Readaptar a dieta dos idosos em função do olfato, do paladar e do apetite é necessário mudanças no cardápio para prevenir e curar problemas de saúde.

De acordo com a Síntese de Indicadores Sociais, com base nos dados da Pesquisa Nacional Por Amostra de Domicílios (Pnad) 2009 do IBGE o contingente de pessoas com mais de 60 anos no Brasil soma cerca de 21 milhões, superando a população de idosos de vários países.

A preocupação com a prevenção de doenças nas pessoas com essa faixa etária cresce à medida que este grupo se torna numericamente mais representativo.

Segundo a nutricionista Bruna Murta, a nutrição exerce grande na prevenção e no tratamento de doenças comuns na terceira idade.

– Com o passar dos anos ocorre um declínio natural das funções fisiológicas, há diminuição do apetite, alterações no paladar e olfato, tornando a comida menos atraente e também menor a absorção e o metabolismo dos nutrientes – afirma a especialista da rede Mundo Verde .

De acordo com a nutricionista é por isso que existe a necessidade de rever os hábitos alimentares e adequar o cardápio da população idosa.

– Estas mudanças alteram as necessidades nutricionais.

À medida que se envelhece, a necessidade calórica diminui e aumenta a demanda por alguns nutrientes, como as vitaminas, minerais, água, fibras e ômega 3 – garante.

Para Bruna, além da ingestão desses nutrientes, é importante que a refeição apresente aspectos agradáveis, como a cor, sabor, aroma e textura, e que seja priorizado o prazer no momento da refeição, atendendo as preferências do idoso.

Abaixo, uma lista criada por Bruna com os alimentos que devem estar na dieta de pessoa que já passaram dos 60 anos:

Grãos

grãos

Grãos como a soja, a quinoa, o amaranto, os feijões, o grão de bico, a ervilha e a lentilha, além de cereais integrais e das oleaginosas possuem elevados índices de proteínas que devem ser incluídas na alimentação diária na forma de cozidos e sopas.

Atuam na manutenção da massa magra.

Peixes

peixes


Ricos em ômega 3, o salmão, o atum, a sardinha, o arenque, a cavala e também os óleos de peixe combatem problemas cardiovasculares, cerebrais e nas cartilagens.

Sua suplementação, através de cápsulas de óleo de peixe, é interessante para a prevenção contra o mal de Alzheimer , Parkinson, depressão, perda de memória e concentração.

Sucos de uva escuras e cranberry (oxicoco)

suco de uva escura

São ricos em antocianina, um antioxidante que neutraliza a ação dos radicais livres e atua na prevenção do câncer; previne contra doenças cardiovasculares; auxilia no controle das taxas de colesterol.

Cereais integrais

IOGURTE COM GRANOLA

Possuem um alto teor de vitaminas do complexo B (B1, B6, B12, ácido fólico), nutriente importante para o correto funcionamento de todos os órgãos.

Além disso, fortalece o sistema imunológico e protegem os tecidos nervosos contra a oxidação.

O complexo B também é encontrado nas leguminosas, nas oleaginosas e nas sementes.

Laranja, cenoura, abóbora e vegetais folhosos ( como a couve e o espinafre)

espinafre

Possuem altos teores de carotenóides, vitaminas C e E, selênio e neutralizam a ação dos radicais livres.

Além disso, a vitamina C é encontrada nas frutas cítricas e vegetais como brócolis e pimentão.

A vitamina E está presente nos óleos vegetais e gérmen de trigo. A castanha do Brasil é a maior fonte de selênio.

Gergelim, folhosos verde escuros e quinoa

folhas verde


Esses alimentos são fonte de cálcio, fundamental para a saúde óssea.

O consumo de vitamina D, presente no óleo de fígado de bacalhau, por exemplo, melhora a absorção intestinal do cálcio, atuando, consequentemente para garantir uma boa saúde dos ossos.

Linhaça, farelo de trigo, de arroz e de aveia

linhaça

Compostos por fibras insolúveis, esses produtos atuam para auxiliar o bom funcionamento do intestino pois aceleram o trânsito intestinal.

Semente de abóbora

sementes de abóbora

Essas sementes são boas fontes de magnésio, importantes para a saúde dos ossos, do coração e das cartilagens.

São encontrados também nos vegetais folhosos verde escuros, nos cereais integrais, nas leguminosas e nas oleaginosas.

Banana, melão e água de coco

 banana

Assim como os feijões, a ervilha, a laranja e o espinafre, esses alimentos são ricos em potássio, substância que reduz os níveis de sódio diminuindo o risco de hipertensão arterial e derrame.

Além disso, a farinha de banana verde, o óleo de coco, o mel e a aveia alimentam os probióticos, bactérias que colonizam o intestino e são indispensáveis para uma boa digestão e absorção.

Castanhas e chocolate amargo

nozes

São fontes de zinco, também encontrado nos feijões, na lentilha, nas nozes, nas castanhas e nos cereais integrais.

Essa substância é fundamental para a manutenção do sistema imunológico.

Fonte: https://www.avovo.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Clique Aqui!
Inscreva-se aqui!
Inscreva-se para as Atividades Gratuitas!